quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Capitulo 10

Divulgando:
Seja bem vinda Gih!!!!!
Esse é o blog da Gih Hudgens... tá lindoooooo!!!!

http://savemezanessa.blogspot.com/

Visitem, leiam e comentem.... vale muito apena!!!!!!!!!!!!!!



Agora o cap gigante que prometi.... rsrs


Vanessa gemeu quando o telefone tocou. Era madrugada, e não dormira nada. Atendeu ao telefone:
Van: O quê?
Zac: Vane?
Van: O que houve?
Zac: Só consigo pensar que ela está doente! Não pega a mamadeira e parece ter ânsia.
Van: Você mediu a temperatura?
Zac: Tentei mas…
Van: E só colocar na orelha dela.
Zac: Já disse, eu tentei! Ela não deixa.
Van: Escute, você é maior que ela.
Zac: Você já tentou colocar aquilo em algo tão pequeno quanto a orelha de uma criança que está chutando e se contorcendo? Você disse que é possível que estejam nascendo mais dentes. Li aquele livro que você comprou, e ele diz que ela pode ter febre, infecção de ouvido e enjôos por causa disso. Então tentei dar uma aspirina para ela, mas…
Van: Não! (Interrompeu aflita.) Nunca dê aspirina a uma criança com menos de 12 anos, Zac. O livro diz isso claramente.
Zac: Bem, como eu poderia saber disso? (berrou ele.) Ela chutou o livro para baixo da cômoda!
Van: Sente na cadeira de balanço com ela. Estou a caminho.
Zac: Depressa!
Vanessa correu para o armário. Menos de um minuto depois, estava indo para o carro. Nem tivera tempo de colocar sutiã!
Quando Zac abriu a porta, ela de repente desejou ter prestado mais atenção à aparência.
Zac: Graças a Deus! ( exclamou ele.)
Van: Onde ela está?
Zac: No berço, berrando.
Amanda estava deitada, soluçando como se seus pulmões fossem estourar.
Van: Amanda?
A criança sentou-se, lágrimas escorrendo.
Amanda: Nane!
Vanessa abraçou-a. Sentiu calor e suor, mas não febre. Só para certificar-se, colocou a mão na testa dela.
Amanda: Gooey?
Zac: De novo não. ( reclamou ele.)
Van: O quê?
Zac: Mais cedo ela estava pedindo a g-a-t-a,
Amanda: Gooey!
Van: Quando foi isso?
Zac: Assim que você saiu.
Van: Entendo.
Zac: O fato foi que ela ficou aborrecida quando eu disse que ela tinha ido embora, e começou a chorar. Então tentei distraí-la e ela acabou dormindo.
Van: Você quer dizer que você acabou colocando-a no berço, não foi?
Zac: Não exatamente.
Van: Então como ela dormiu?
Zac: Pegou no sono.
A explicação não era satisfatória.
Zac: Ela pegou no sono no chão. Estávamos brincando. Na verdade, eu estava correndo atrás dela, até que ela sentou. E então deitou, e depois só vi os olhos dela fecharem e ela pegar no sono.
Van: E, então, o que você fez?
Zac: Bem, apenas deixei que ela dormisse, apenas carreguei até a cama. Tinha umas coisas para ler e pensei que ela estava bem e dormindo. Só que as horas passaram e eu não percebi. Quando subi… bem, ainda não sou bom nessas coisas, você sabe.
Van: Ela acordou. (Vanessa supôs. Amanda acalmou-se, e estava olhando para eles agora, ofegante.
Zac: Isso, ela estava meio irritada.
Van: Naturalmente.
Zac: Sabe quem ela começou a chamar? Eu simplesmente ignorei, mas ela foi ficando cada vez mais irritada, e eu comecei a me preocupar, então peguei o livro e…
Van: Acho que posso imaginar… Preciso de um pano úmido e quente.
Ele saiu do quarto imediatamente.
Van: Está tudo bem, querida. Sei que está cansada e irritada, mas podemos resolver isso. Fique quietinha agora. Isso. Adoro quando você senta no meu colo e deixa que eu lhe abrace. Você é uma menina bonita, inteligente, encantadora e seu pai tem muita sorte de ter você.
Zac finalmente voltou com o pano quente, Amanda, primeiro lutou, mas estava muito cansada e o calor foi acalmando-a. Quando o rosto estava limpo e sem lágrimas, Vanessa começou a balançar.
Van: Pegue o Urso Pimpão.
Zac: Devo esquentar outra mamadeira? (sussurrou, mas Vanessa balançou a cabeça.)
Vanessa começou a cantar baixinho. Amanda quase dormia, aí acordava e olhava à sua volta, mas finalmente seus olhos fecharam e não abriram mais. Vanessa levantou e deitou a bebê no berço. Amanda agitou-se, mas ela continuou cantando até que se acalmasse de novo. No fim, fez um sinal para que Zac a seguisse e silenciosamente saiu do quarto. Esperou até estarem no andar de baixo para falar que idiota ele era.
Van: Tente lembrar-se de que Amanda é apenas uma pessoinha e não uma alienígena.
Zac: Essa história de alienígena foi uma brincadeira.
Van: Bem, correr atrás de uma criança pela casa! Você deve acalmá-la na hora de dormir, não acendê-la.
Zac: Eu não sabia! Estava apenas tentando distraí-la.
Van: Da próxima vez, tente ler um livro!
Zac: Por que você está gritando comigo? Não fiz de propósito! Você sabe que sou um iniciante nisso. Estou dando meu melhor.
Van: Desculpe. Está tarde e estou cansada.
Zac: Eu que devia pedir desculpas, chamar você a esta hora. Mas não sabia mais o que fazer.
Van: Não imaginei que ela fosse ficar tão apaixonada pela minha gata. Talvez deva dar um gato para ela.
Zac: É uma idéia. Ei por que não fazemos isso amanhã? Você pode nos ajudar a escolher um. O que acha?
Vanessa sorriu, imaginando o feliz passeio de compras, as exclamações de felicidade de Amanda, as fofas carinhas felinas, Zac orgulhosamente pagando o que fosse necessário para ver sua princesa feliz seria tão divertido, apenas eles três e um mundo cheio de gatinhos. Eles três. De repente a realidade tomou seu lugar, e Vanessa literalmente recuou. Zac levantou a cabeça.
Zac: Então, o que você acha? (pressionou)
Van: Acho que a tarefa de comprar gatos está bem além das de secretária-executiva.
Zac: Bem… só achei que seria divertido.
Van: Tenho certeza de que será, mas você não vai precisar da minha ajuda.
Zac: Você não quer ir? Claro. Bem, talvez eu compre um gato de pelúcia e você pode trazer Goody quando vier de novo.
Van: Quando eu vier na segunda-feira. ( esclareceu ela)
Zac engoliu seco como se só agora percebesse que teria o final de semana inteiro pela frente.
Zac: Certo. Segunda-feira. Bem, aproveite o final de semana. (disse acompanhando-a até a porta.) Não se preocupe que não vou ligar de novo. Esqueci que posso ligar para minha mãe. Ela não poderia simplesmente vir, mas pode me explicar o que fazer. (Ele abriu a porta para ela) Então é isso, boa noite, Vane. De novo.
Ela sentiu-se menor do que um rato.
Van: Boa noite.
Zac: Ah, espere. (Ele colocou a mão no ombro dela na hora que ela ia se virar.) Sei que vivo dizendo isso, mas você sempre me surpreende. Obrigado.
Ele sorriu para ela, e, após um momento, o olhar dele desceu para os lábios dela. De repente, ela estava intensamente consciente de tudo à sua volta, da noite fria e gloriosa, do toque de sua roupa contra a pele nua. Ocorreu-lhe que se ele realmente a beijasse, perceberia que não estava usando sutiã. Será que ele a tocaria, então? Será que a mão dele pegaria seus seios? Ela quase podia sentir o calor da mão dele, o corpo musculoso. Ela levantou a cabeça, ofegante.
Ele abaixou a cabeça e deu um beijo na testa dela.
Vanessa experimentou um momento de confusão seguido por decepção. Depois estava parada no degrau da porta, Zac olhando para ela pela fresta da porta semi-aberta. Ele sorriu e ela sorriu.
Não havia mais nada para fazer a não ser virar-se e andar até o carro. Zac acenou uma última vez, e fechou a porta.
Vanessa franziu a testa enquanto passava a primeira, o que havia de errado com ela? Estava tremendo. Tinha a terrível sensação de que nada voltaria a ser igual.

Zac jogou-se no sofá e colocou a mão na nuca, girando a cabeça em um esforço para relaxar os músculos. Exaustão tomando conta dele. Eram duas horas da tarde, e suas forças e energias esgotaram-se.
Costumava achar que tinha um condicionamento físico bom. Passaria suas tardes praticando diversos esportes. Se tivessem contado para ele que uma criança seria seu maior desafio teria dado gargalhadas. Ainda assim, aqui estava ele, saboreando esse momento, com Amanda deitada no berço para seu sono vespertino, rezando para que ela dormisse por pelo menos uma hora… e esperando o momento em que ela levantaria a cabecinha e o chamaria.
Rindo, ele recostou a cabeça e fechou os olhos. Sua casa estava uma bagunça. Ela já espalhou sua coleção de CDs, tirou todos os seus sapatos do armário, destruiu várias revistas, cobriu a cozinha com cereal e transformou sua casa em uma grande caixa de brinquedos. Virando-se, colocou os pés para cima e preparou-se para cochilar. Então, a campainha tocou. Murmurando, correu para abrir antes que Amanda acordasse e começasse a gritar.
Zac: Vane!
Van: Oi. Como estão as coisas?
Ela parecia deliciosa em um suéter vinho-escuro com a calça combinando. O cabelo puxado para trás balançava em seus ombros em uma suave cascata. Um casaco de veludo jogado sobre os ombros.
Zac: Entre! ( Ela hesitou antes de entrar. Ele foi até a sala, estremecendo ao revê-la.) Ahn, não é tão ruim quanto parece. (Ela parou ao lado dele.)
Van: Meu Deus.
Zac: Ok, é tão ruim quanto parece, mas ela está dormindo agora, então eu posso… Sinto como se tivesse sido arrastado por um cavalo.
Ela riu, parada ali, cheia de energia e parecendo ter saído de uma página de revista. Por que ele nunca percebeu como ela era linda? Pela primeira vez na vida, ele sentiu-se desconfortável com sua aparência. Precisava tomar banho, barbear-se e vestir roupas decentes. Bem consciente de seu visual, passou os dedos pelos cabelos, pensando que provavelmente também precisava cortá-los, sem mencionar penteá-los.
Van: Fique com os pés para cima por alguns minutos, vou preparar um café.
Zac: Acho ótimo.
Zac:Humm?
Van: Talvez eu deva deixá-lo dormir. Ele sentou-se, esfregando os olhos.
Zac: Meu Deus, esse cheiro é delicioso.
Van: Tome. (disse entregando-lhe a caneca. Depois, sentou-se em uma poltrona em frente a ele.)
Van: Então, conte-me sobre sua manhã.
Zac: Só consigo me lembrar de apagar incêndios.
Van: Bem, não estou vendo nenhuma fumaça, então diria que você foi muito bem.
Zac: É o que você acha. Minha empregada vai olhar para esta bagunça e pedir demissão. Provavelmente, terei de fazer entrevistas para empregadas e babás.
Van: Vamos arrumar tudo. Depois, conversamos sobre a importância de impor limites.
Zac: Achei que você tivesse planos.
Van: Resolvi tudo mais cedo.
Zac: Você conseguiu encontrar sua amiga atriz?
Van: Não, na verdade passei meu tempo na lavanderia e pagando contas.
Zac: Bem, fico feliz de ter acabado mais cedo.
Van: Achei que fosse ficar. ( Tomou um gole de café e acrescentou) Não posso ficar muito tempo. Minhas compras estão no carro.
Zac: Trago para dentro. (disse ele, levantando-se.)
Van: Por enquanto, elas estão bem. Por que não aproveita para se refrescar? Você se sentirá melhor.
Ele correu para o banheiro, onde rapidamente escovou os dentes, penteou os cabelos e usou o barbeador elétrico. O resultado não foi muito bom, mas era melhor do que nada. Resolveu trocar a camisa, escolhendo uma azul que realçava seus olhos. Decidiu que o jeans estava bom e saiu. Ela estava na cozinha, então foi para lá. Estava ajoelhada, limpando a comida do chão.
Zac: Deixe que e faço isso. ( disse ele, sabendo que já deveria ter feito.)
Van: Um pano de chão funcionará melhor agora.
Zac: Certo.
Ele foi até a lavanderia pegar um pano de chão, que levou até a pia e molhou.
Van: Melhor limpar aquele armário enquanto eu limpo a cadeira dela.
Zac: Sim, senhora. (sorriu e saiu)
Quando terminaram, ela encheu as canecas com café, discutindo sobre como deixar a casa à prova de crianças, e ensinar a Amanda a não mexer nas coisas, sem recorrer a tapas, mas usando uma única palavra: não.
Zac: Aquelas tampas para as tomadas estão na gaveta. Vou pegá-las.
Ele tampou todas as tomadas. Enquanto ele fazia isso, ela recolheu os brinquedos e sapatos espalhados. Então jogou as revistas rasgadas fora enquanto ele organizava os CDs. Algumas pequenas modificações assegurariam que Amanda não pegaria as revistas de novo. Estavam quase acabando quando ouviram uma vozinha sonolenta pelo monitor.
Amanda: Papai?
Ele subiu as escadas correndo.
Amanda: Papai! Codei! (que cute isso..rsrs)
Zac: Estou aqui, amor.
Rindo, ele trocou-a, limpou as mãos e colocou os sapatos nela enquanto ela repetia "Aga".
Zac: Vane está aqui. (Ele dizia enquanto descia as escadas com ela no colo.)
Amanda: Nane! (ela pediu no topo das escadas para surpresa dele, ela não foi para o colo de Vanessa. Em vez disso, apontou para a cozinha) Aga.
Zac: Já voltamos. (Com Amanda no colo, ele pegou suco na geladeira e uma xícara limpa. Quando lhe entregou, ela murmurou algo que parecia...)
Amanda: Bigada! (Mecanicamente, ele respondeu...)
Zac: De nada.
Van: Parece que tudo está sob controle. (Vanessa falou da porta.)
Zac: Como pode dizer isso depois de ver como esta casa estava quando chegou?
Van: É melhor acostumar-se.
Zac: Quer dizer que é sempre assim?
Van: É, e as pessoas continuam tendo filhos.
Ele olhou para Amanda, e o milagre da paternidade finalmente atingiu-o.
Zac: Você acha que é biológico?
Van: Não sei se é biológico, emocional ou algo que ninguém pensou ainda. Mas nem sempre acontece. Conheço pessoas que não deviam ter tido filhos, que não deviam ter a permissão de ter filhos. E ainda conheço aqueles que nunca perceberão seu potencial como pais por alguma razão. Mas você é um daqueles que nasceu para ser pai. Não duvide disso.
Zac: Tive tanto medo de ser como meu pai. Mas talvez eu tenha mais da minha mãe do que imaginava.
Amanda: Mama.( disse, esperançosa.)
Zac: Ah, querida. Desculpe. Não quis dizer isso. Mamãe não está aqui, amor. Gostaria que estivesse, mas não está. Ela estaria se pudesse, Amanda, então papai vai cuidar de você a partir de agora. Eu amo você, minha Manda.
Amanda deitou a cabeça no ombro dele, e abraçou-o tranqüilamente.
Zac sentiu-se triunfante por ter conseguido acalmar a filha, e quando olhou para Vanessa, sabia que não era imaginação, e sabia exatamente a quem tinha de agradecer.
Existiam quatro mulheres extraordinárias responsáveis por essas mudanças nele. Primeiro, sua mãe, claro, pela forma como cuidou dele e pela confiança nele; então, tinha a mãe do bebê, que dera a ele o tesouro que era Amanda. Claro, a própria Amanda, que era a causa dessa catálise, o centro de seu novo universo. Mas foi Vanessa que pacientemente lhe ensinou e treinou.
Vanessa estava ali quando seus instintos falharam e as mudanças pesaram. Ela fez com que acreditasse que podia ser o pai que Amanda merecia. Foi ela que fez que ele quisesse coisas que nunca desejou antes. Que valorizasse coisas que nunca imaginou. Sim, se Amanda era o centro dessas mudanças, Vanessa era a responsável por exaltá-las com confiança e satisfação.
De repente, sentiu medo de não conseguir conquistá-la. De não conseguir que ficasse por perto enquanto precisasse dela. Afinal de contas, o que sabia sobre manter uma mulher ao seu lado? Tudo que sempre soube foi afastar-se, quantas vezes, fez isso sem nem mesmo pensar duas vezes? Todos esses anos achou que qualquer mulher, pela qual se interessasse, ficaria por perto, mesmo se ele pouco a estimulasse, se não por ele, pelo dinheiro.
Mas sempre soube que Vanessa era exceção.
Seria ela a mulher que ele não conseguiria conquistar? Ou a mulher que nasceu para ficar ao seu lado?

Vanessa não conseguia acreditar que estava fazendo isso. Então aqui estava ela, sentada, vestindo o maiô do último verão, o cabelo escorrendo pelas costas, tentando não notar como Zac estava sensual usando apenas short de banho. O homem era como um muro de concreto: firme e vigoroso; mas nenhum muro a deixaou assim: com a pele formigando e o coração pulsando. Amanda puxou seus cabelos, lembrando Vanessa do porque estava aqui, e depois se jogou para o pai.
Zac: Ei, docinho! (ele pegou-a, sorrindo.) A menininha do papai gostou da primeira experiência na piscina? (Ele olhou para Vanessa.) Pelo menos, suponho que seja a primeira vez.
Van: Acho que deve ser pelo menos em uma piscina de verdade. Ela já deve ter entrado em uma piscina de criança antes, mas não parecia estar familiarizada com o ambiente quando a colocamos na água.
Zac: É, notei isso. Ela parecia um pouco intimidada, com medo até.
Van: Bem, não está mais com medo.
Zac: Não esta menina. Ela é metade peixe. (Ele fez uma cara de peixe, puxando as bochechas para dentro e fazendo bico. (adoro quando Zac faz isso... rsrs) Amanda inclinou-se e beijou-o. Ele e Vanessa caíram na gargalhada. Amanda olhou em volta para ver o que era tão engraçado, depois riu com eles.
XxxX: Que boneca!
Vanessa olhou para cima e viu uma loura com pernas compridas, usando biquíni branco, sorrindo para eles, ou melhor, para Zac. Ela não era a primeira da vizinhança a paparicar Amanda, e quando Amanda e o pai eram o centro das atenções, Vanessa ficava relegada a segundo plano.
Zac: Oi, Lorinda. (que nome...kkkk) Esta é minha filha, Amanda.
Lorinda: Meu Deus, ela é um sonho! Que cabelo!
Zac: Acho que puxou da avó.
Lorinda: E tem seus olhos.
Zac: É o que dizem.
Uma morena chamada Mercedes, com cabelo preto e traços latinos, juntou-se a eles.

Espero que tenham gostado...

P.S.: Muito Muito Muito obrigado pelos coments!!!!!!!!!!!! 

Cenas do próximo cap.... rsrsrs:

"Ela juntou suas coisas e foi para a porta. Zac entrou na frente dela, que o olhou, sentindo medo e excitação ao perceber seu olhar".

"Ele derrubou-a na cama. Tirando a camisa, deitou também."

**Cuidado pode ter cenas hot!!!! kkkkkkk
Continuem comentando bastante tah!!!!


Amuuuuuuu Vocêsssssssss!!!!!!!!!

10 comentários:

  1. simplismente perfeito
    adorei a parte do peixe...
    me lembro do meu pai fazendo isso pra mim dormim em um videio, não deu certo. kk
    daoreii
    fico 10x90x60x30= nãosei
    mais ta PERFEITOO
    posta logoo

    ResponderExcluir
  2. Uau que perfeito!
    Tipo mt fofo "papai codei" aaain
    *-* ela é mt fofa!
    Uhhh cenas hots kkkkk Aaa PF posta logo...Viciei nesse teu blog
    #prontofalei
    Ele é divino!

    Aaaaaaaa!

    ResponderExcluir
  3. uauuuuuuulllll posta logo bjss lindoo sera q a vany vai ficar com ciumes????? posta logo bjsssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  4. lindoooo meu deus e se a van ficar com ciumes e ver q zac esta conversando suas"vizinhas" e acha melhor ir embora sem ele perceber??
    posta logo bjss

    ResponderExcluir
  5. AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!
    Quem são essas criaturas que apareceram?
    Ficou perfeito o cap!
    O zac é tão fofo com a amanda!
    Muito cutie!
    O próximo cap promete fortes emoções!
    Posta logo
    Bjos amorê

    ResponderExcluir
  6. ownt que lindo parecem uma familia feliz se divertindo na piscina num domingo a tarde....auhsuashuash
    muito lindo...perfeitinho...
    louquinha aki a espera do proximo capitulo...
    Posta loguinho...
    Bjão!

    ResponderExcluir
  7. aii que linda a Amanda
    posta hoje por favor!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Oh ,valeu!
    E obrigada por divulgar e comentar lá!
    Sem duvidas está maravilhoso este capitulo!
    Bjs e posta mais!

    ResponderExcluir
  9. AHHHHHHHHHH.
    Quem são essas criatuaras, que apareçeram,logo agora.
    Ai, meu deus, manda está cda vez mais fofa."Papai codei" foi lindo!
    Meu Deus, agr vc vai me matar de tanta curiosidade ate o prox. cap.
    Cenas Hot?!?!?!?!
    Ahhhh...

    Amei.
    Posta Logo.
    Beijinhos <3

    ResponderExcluir

Gostaram??? Comentem!!! Uma mensagem... Uma sugestão... ou apenas um Oi...!!! bjsss!!!!